segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Mais feio ainda é pedir cigarro.

Eu sei que tenho o péssimo habito ressaltar só as coisas ruins do negócio. Mas é aquilo que não só eu, mas muitos brasileiros pensam; A gente sempre espera o melhor de um país desenvolvido, de um país de primeiro mundo...

Mas o ano está acabando e eu ainda estou no Canadá. Estou indo para o quinto ano de  um blog quase emperrado e não sei se ainda há quem leia as merdas que eu escrevo por aqui.

De qualquer forma, peço desculpas, pois, aqui quero destilar o último veneninho do ano; O vai tomar no cu de hoje vai para essa horda de infelizes que me abordam de cinco em cinco minutos para pedir ou comprar cigarros por 25 centavos no centro de Toronto. Parece até cultural, mas que mendigagem mais compulsiva e desagradável é essa, pô?!

Não faço idéia aonde irei passar a virada do ano, não tenho muitas escolhas, o frio já chegou estamos rumo à 20 graus NEGATIVOS. Talvez irei em algum buraco cheio das canadenses barangas, pega-um-pega-geral.

FODA.

  Eu, em grande estilo "forever alone", tentando patinar no gelo, na Queen Street.

Feliz ano novo!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Tim Hortons

Vai tomar no cu.

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

e aí, Toronto?

Pois é. Estou indo para o meu quarto mês em Toronto e ainda não sei o que pensar daqui. É o sentimento mais estranho que já tive, só que mais pra menos que do que pra mais. O que eu quero dizer, na verdade, talvez seja que eu deveria gostar daqui. Mas acho que não gosto.

Primeira antipatia que já me deixou fodida foi o preço das coisas. É dolares e taxa até pra peidar. Estar em Toronto é um gasto maneiro pra ver gente feia por todos os lugares. Que tal 11,00 DO-LA-RES por um maço de cigarro?

É por isso que estudei só 3 meses e agora estou procurando trabalho. Cheguei a trabalhar três semanas num restaurante Saudita servindo Kabsa, Mathlootha, Jereesh e Motabaq para os estudantes sauditas barangões. Impressionante como o cheiro de chicken kabsa impregnou até no meu sutiã (é sério!).

Ah sim, como com qualquer outra pessoa que vai morar fora, também encontrei pessoas incríveis e especiais, que aliás, são estes que me mantém aqui além do inglês.

Sem filtro, porque estava lindo.

domingo, 11 de agosto de 2013

Boa semana!

Agora sim uma henna decente!  (feita por uma paquistanesa DE VERDADE)
Lembra da minha tentativa de mehndi?

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Coca-Cola Chicken Wings



Quem me conhece sabe que sou viciada em coca-cola e a Lepus, a chinesa que mora comigo mais uma vez mostrou a sua generosidade, sabendo muito bem conquistar a titia ocidental aqui, me presenteou com uma Coca-Cola Chicken Wings, prato popular na China que ela mesma fez para moi :) E meu! É surpreendentemente saboroso! Mandei brasa nas asinhas e lambi os beiços.

Obrigada Lepus! muito obrigada.
Lepus e yo

domingo, 7 de julho de 2013

ChinaTown

Eu não sei de onde desentoca essa horda de chinêses e gente feia aqui! mas por outro lado, há gentilezas que só um asiático faria por nós, como por exemplo, desenhar e explicar com detalhes cor-de-rosa o meu caminho para a escola.

Lepus é uma chinesinha querida, de apenas 18 anos, que também está morando "na mesma casa que eu". Além de ter feito um mapa fofo, com direito a canetinhas coloridas, ela fez questão de no domingo fazer o caminho da escola comigo, para que eu não tivesse dificuldades no primeiro dia. Ela é budista e conversamos bastante sobre a crença e a vida dela na China.

Sou mais mal humorada do que eu pensava! As estações de metrô embaralharam a minha cabeça de TDAH e passei muito nervoso por causa disso. Mas tenho sorte por ter encontrado pessoas doces e dispostas a ajudar, tal como uma brasileira que conheci na escola.

Falando em asiáticos, fui conhecer a Chinatown debaixo de um sol a pino, reclamando feito uma velha, mas fui assim mesmo. Segue fotinhas:

 ChinaTown, Toronto - Canadá.

sábado, 29 de junho de 2013

Homesick , welcome to Canada!

Tenho 22 anos e morei em três cidades do interior de São Paulo, morei no Rio de Janeiro, na Holanda em Amsterdam, mudei 10 vezes de casa e agora estou aqui sem reação.

Cheguei hoje em Toronto e to sem graça. Eu só consigo pensar na Mel, no meu quarto e na minha casa. E esse nó na garganta que não vai embora nunca. Por quê?

Tenho a impressão de que troquei a minha casa, o meu conforto, a minha Mel, os meus pais, o meu ar-condicionado, para dormir de ventilador em uma noite abafada aqui em Toronto  (Pois sim, a noite está abafado. Aqui é verão e faz calor SIM SENHOR!). Os lençois da cama tem "cheiro da casa dos outros" e é de casal. Logo, os lençois que eu trouxe da minha casa não servem =(  

Posso estar equivocada, mas não sei se vou aguentar ficar 6 meses aqui não. E quando digo "aqui", não estou falando da casa e sim do país.

A casa é linda e grande. A "família" aqui é uma mãe chinesa de 45 anos, sua filha Lyah de 18 e uma poddle. Há outras intercambistas também, (cada um com o seu quarto), por enquanto só conheci uma, que também é chinesa.

Estou em um bairro bonito, agradável e todo arborizado com as famosas árvores "da folhinha do Canadá" com pencas de esquilos pulando para lá e para cá. Mas... sinto desejo de voltar =(

Enfim.. não vai adiantar eu ficar por aqui. Hoje não vai sair nada de positivo daqui.
Preciso dormir e descansar urgente...

Primeira ligação da viagem (skype)

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Dear non-brazilian friend

This video is to foreigner visitors.

This is what is happening in Brazil,

Please take it seriously! 


sexta-feira, 14 de junho de 2013

Uma Burca Por Amor


Encontrei o filme no youtube em espanhol e assisti mesmo assim. Pode ser que ouvir Manu Chao todos os dias tenha me ajudado a entender muito bem o filme. Mas dá pra entender sim! O livro eu ainda não li, estou lendo outro no momento, mas me bateu a curiosidade.

"Uma Burca Por Amor" conta a história real de Maria, uma espanhola que mora em Londres e conhece um Afegão por quem se apaixona. Vivem uma história de amor, se casam e em pouco tempo ela engravida. Um dia, porém, o Afegão recebe um telefonema de que seu pai está muito doente. Preocupado, decide viajar imediatamente para o Afeganistão e pede para que ela fique em Londres.

Maria, por sua vez, resolve ir junto, sem imaginar o barril de pólvora que a espera, visto que o país estava em guerra e ambos tiveram seus passaportes apreendidos. Deste modo, não conseguiram sair do país e voltar a Londres como haviam planejado. Desconhecendo totalmente as leis do regime talibã,  Maria passou por situações que nunca imaginou que teria de suportar. Além disso, teve de aturar o ranço da mãe (e da família) olhando dos pés até a cabeça, o choque cultural e o martírio de dar a luz ao seu filho em uma casa sem as mínimas condições de higiene e sem nenhum médico por perto.

Bem, pelo menos é mil vezes melhor que aquele filme, Ae Fond a Kiss...

Parte 1:


Parte 2:


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Preguiça

Embora eu havia me esquecido, hoje é o dia dos namorados né?

 "Solteiros, cada um tem a sua hora, não se preocupem por estar mais um ano sozinho". (oi?)

"-Tem namorado? 'não' 
- Ahhh, mas uma hora você vai encontrar uma pessoa especial". (?)

"Solteiro no facebook: Dia dos namorados? Depressão" (???)

Ah vá! Para de se iludir e vai ajudar a mãe a lavar louça! A coisa mais irritante nas pessoas é o costume de só considerar-se feliz quando  esta vivendo um romance, aquela idéia medíocre de que só é possível uma realização pessoal através de um relacionamento amoroso fixo e estável. Peloamor, né? 

Olha.. eu não estou criticando os casais felizes, e sim as pessoas que depositam a própria felicidade em outrém, o que para mim, é uma pessoa no mínimo sem perspectiva de vida. 

Ah! e mulheres que precisam excessivamente de uma atenção masculina, devem sofrer de carência paterna, porque não é possível...

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Ah, o namoro virtual....

Cá estava eu pensando: Como tem gente que procura sarna pra se coçar, né? Essa história de relacionamento virtual é meio que uma merda. Pra não dizer que eu to fazendo a "faça o que eu digo e não faça o que eu faço", quero esclarecer que comigo foi algo inesperado, e tipos, eu tinha 15 anos, (hoje eu tenho 22) e continuo com o mesmo paquistanês pela internet. Mas se não der certo, eu não vou sair caçando, sabe? eu jamais teria outro affair-paquistanês-virtual, eu não procurei por isso, até porque não acho "amor a distância" uma coisa legal.

Aliás, é até perigoso, arriscado. Uma situação para armar-se até os dentes, vai que é um cara que gosta de dar nó em pingo d'água. Não dá pra saber. E digo isso porque há muita Maria-Incenso e Maria-Paquistão por aí que parecem forçar a barra. Mulherada que lota as redes sociais de paquistaneses/indianos. Isso eu nunca vou entender.

Há quem diga que isso virou modismo (o que eu acho um absurdo), porque convenhamos, é bem mais saudável conhecer alguém pessoalmente, seja ele paquistanês ou não, do que ficar idealizando alguém atrás das telinhas, me dá até vergoinha isso. Mas enfim, o amor é lindo e se acontecer, agora é dançar conforme a música.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Preparações para a viagem?

Posso parecer desaparecida, pero esa no es la verdad. 
A verdade é que prorrogar tarefas é algo que não poderia faltar na vida de um DDA. Pra piorar, de manhã eu tenho preguiça, a tarde eu sinto sono e a noite eu não consigo dormir. E como uma boa DDA, coisas das quais eu deveria fazer ao longo do ano, eu deixei para fazer tudo em um mês antes de viajar. Queimar cartucho com os exames da Mel, cortar o meu cabelo, comprar meus óculos de grau que não comprei até hoje, comprar meias novas, pegar uns papéis na faculdade e ainda nem pisquei para as malas. Até no podólogo eu fui ontem, resolver um problema antigo com as unhas que sempre encravam. Dói paporra!

Falando nisso, eu definitivamente não sei pintar unhas! Tirar cutículas e lixar não é o problema. O negócio aperta na hora de pintar. Grrrr! Vejo tantas mulheres lidando com isso como se fosse um lazer. Eu acho um pé-no-saco ter que pintar. O resultado é deplorável. Detesto e desisto. Mentira, não desisto não. Vira e mexe eu to pintando, faço porque é bonito. Mas não é uma das minhas tarefas favoritas, porque sempre fica uma merda. Aliás, pintar unhas é outra das milhares de coisas que eu sempre prorrogo na minha vida.

Ah! eu estou tão feliz! A Mel, minha pitbull já está passeando sem coleira comigo. Pausa para musiquinha tema de "O Encantador de Cães", ouvir aqui - César Millan ficaria orgulhoso de mim. Mas não arrisco muito, pois infelizmente os pitbulls sofrem um preconceito ridiculamente mórbido.

Enfim... eu fico por aqui, pois ainda tenho mais algumas aporrinhações para resolver, como ir ao dentista amanhã.



segunda-feira, 29 de abril de 2013

Feliz

E finalmente o meu visto para o Canadá!

Que lindo, foi aprovado em apenas 15 dias 

domingo, 14 de abril de 2013

maré de azar


Ha uns meses atras eu tive a desventura de receber uma solicitação de amizade de um paquistanes zé ruela dizendo ser amigo de uma amiga muito querida minha. Eu tenho horror de gente desconhecida me adicionando, principalmente paquistaneses e indianos tranqueirões. Desde os meus 16 anos que não converso mais com essa indiada online. Os contatos asiáticos/árabes que eventualmente posso ter em meu facebook, são pessoas das quais conheço pessoalmente. 

Pois eu acabei aceitando o zé ruela porque acreditei que ele realmente fosse conhecido da minha amiga. Na primeira conversa ele já começou com aqueles assuntinhos batidos de paquistanês-baiano-chavequeiro-de-internet. Ah, me erra, ne? Aí já perdi o meu rebolado e dei logo o corte. Fui grossa mesmo. Deixei claro que não tenho paciência de jogar conversa fora em chat de facebook, ainda mais com um desconhecido. No dia seguinte ele me mandou outra mensagem dizendo que pensou em mim o dia inteiro. (???) Porra! o cara continuou me aporrinhando. Passei a não responder mais as mensagens e naturalmente acabei excluindo dos meus contatos.

Mas olha que genialidade, a minha! eu não sabia que o número do meu celular estava a mostra no meu facebook e o cara passou a ligar no meu celular todos os dias. Eu nunca atendia, mas um dia fui obrigada a atender e explicar que ele estava se equivocando e também me incomodando. Falei para ele ir viver uma vida real, com pessoas reais e parar de procurar garotas brasileiras na internet (pois era o que ele fazia).

E não é que hoje eu descobri que o imbecil está fazendo um auê?  To passando um nervoso com esse babaca que mantém um blog onde a função primária é de denegrir a minha imagem e também outras mulheres que se relacionam com paquistaneses, dizendo que mulheres brasileiras procuram por paquistaneses virgens. Montou um perfil fake com a minha foto e com o meu nome. Criou um chat falso entre "eu" e ele. Tirou print da falsa conversa e postou no blog, onde eu dizia coisas como "I love you so much, I miss you so much. I want to see you, please come Brasil". Na mesma conversa eu pedia dinheiro para ele, pra pagar uma suposta cirurgia para o meu pai! Hahahahahaha.

Ele escreveu coisas surreais de um relacionamento que nunca existiu. Tentou me ridicularizar e também, claro, escreveu coisas horríveis sobre a minha pessoa, disse que eu pedia dinheiro, que eu era uma puta e todos esses xingamentos de praxe. Tudo isso porque eu não dei trela pra ele.

Eu já denunciei o perfil fake do facebook, este já saiu do ar. Mas o blog ainda continua lá. Grrr! Eu estou esperando alguma atitude do blogger. 

O fato é que esse saco de bosta não passa de um típico paquistanês fodido, com complexo de inferioridade, feio, de cabeça achatada e invejoso. E cá entre nós, essa é uma atitude corriqueira entre indianos/paquistaneses recalcados. Quando são contrariados por uma mulher, principalmente belas ocidentais, logo são prostitutas e mais um monte de coisa que eles inventam. 

É de foder, viu. É de foder!

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Cesar Millan ♥

Campanha que o Cesar Millan (te amo, lindo!) lançou visando a importância da castração e esterilização de animais de estimação e seu impacto direto sobre a superpopulação canina.

Sentindo o nó na garganta em 3,2,1 


Herói :)

segunda-feira, 25 de março de 2013

Se quer algo na vida, vá atrás e pegue.


Essa noite eu assisti pela milésima vez o filme "Na Natureza Selvagem", com a Sun. Outra amiga Holandesa que veio nos visitar, uma fofa :)

Sun está passando uns tempos em minha casa e disse que adoraria assistir este filme do qual eu acredito que todo ser humano deveria assistir (hehehe).

Este filme conta a história real de Christopher McCandless, na verdade, "Na Natureza Selvagem" é um livro (não ficcional) que foi adaptado para o cinema. Não li o livro, eu adoraria, pois como já sabemos, livro é sempre melhor que o filme,  mas eu não tenho muito o que dizer, apenas assista!




" Você se engana se acha que a alegria de viver está principalmente na relação que você tem com as pessoas; Está em tudo, em todo o resto..." (Chris McCandless)

terça-feira, 19 de março de 2013

Amor Sagrado


Cá estou assistindo "Amor Sagrado" no Discovery Home and Health e me lembrei que outro dia uma leitora me pediu para que eu falasse sobre o casamento arranjado. Pois digo que na verdade não há muito o que falar sobre esse assunto que é um tanto redundante. 

Digo isso porque nessa blogosfera de "amor paquistanês" vocês sempre vão encontrar um blog que já deve ter falado sobre isso pelo menos uma vez. Eu não quero me tornar cansativa e sei que vocês já estão carecas de saber que o casamento arranjado é uma realidade sim! E que 90% dos paquistaneses se casam desta forma. Também já devem saber que para os paquistanêses, o casamento, é algo realmente M-U-I-T-O SÉRIO, que envolve religião, pai, mãe, irmãos, tias, primos, papagaio de estimação, costumes, raízes, etc, etc e todas esses "etc" que vocês já sabem.

Pois é negada, os paquistanêses levam a tradição a sério de verdadinha e o sonho de toda mamãe paquistanesa é ver o filhinho casado com uma paquistanêsa tradicional. Mas nós já sabemos também que há casos e mais casos, como muitas histórias de amor entre brasileiras e paquistaneses que deram certo. 

E tudo o que eu posso dizer é o mesmo que eu já disse no post O Instinto do Homem Paquistanês. Gente, tente procurar conhecer o máximo que puder da cultura do seu guapo! Começando pela religião: O Islam. Pois sim, seja você católica, beata, evangélica, crente; Não tem como fugir. Tudo gira em torno do Islamismo. Ressalto que: não estou falando para ninguém se converter, mas sim conhecer.

Quanto ao programa Amor Sagrado, para quem possui TV por assinatura, é um documentário dividido em vários episódios que tem passado no canal Discovery Home and Health. Esse documentário acompanha casos reais da procura por um marido/esposa ideal para jovens solteiros de várias religiões, como: Hindus, Cristãos Evangélicos, Judeus e Muçulmanos.

O episódio que mostra os muçulmanos vive repetindo, (não sei falar quando né), mas já vi passando umas trezentas vezes e o interessante é que a maioria dos muçulmanos que aparecem lá, são paquistaneses e paquistanesas que estão a procura de um casamento. Dá para ter uma noção do quanto é importante ser uma pessoa casada para eles e como estudam o pretendente através de conversas formais, antes de aceitar o casamento.

E o que fazer quando a família do seu paquistanês encontrou uma pretendente para ele?
Paciência.

Ah sim, já estava quase me esquecendo de lembrar que essa semana é "aniversário" da invasão do Iraque. A guerra do Iraque começou em uma quinta-feira, no dia 20 de março de 2003, quando aquele lá que não vale aquilo que a Mel faz atrás da árvore, resolveu inventar moda e mentiras para bombardear Bagdá. Dale George W. Bush! Mas deixa isso para outro post...   =(

Ah, e eu tive mesmo dengue.
É uma merda :)

segunda-feira, 18 de março de 2013

uh! tomou.

Tive um pequeno orgasmo com esse video. Quem não teve?


quinta-feira, 14 de março de 2013

Sonhei menos foda!

Acordei no sábado de madrugada vomitando e cagando até as tripas. No dia seguinte tive febre e o resto da semana sinto fortes dores no corpo e também atrás dos olhos (dengue, oi?).

Para completar essa maré de azar, fui vítima de um calote da agencia de intercâmbios pela qual eu iria para o Canadá. A antiga AGBR que virou Nex Intercambios. Olha que chute no cu gostoso! :)

Pois sim, podem me chamar de idiota. É uma situação bem complicada, pra dizer o mínimo, mas agora não adianta chorar o leite derramado. Estamos resolvendo. Eu vou realizar o intercâmbio de qualquer forma, através de outra agência idônea, mas... atrasou tudo né :/

Enquanto isso eu vou assistindo O Encantador de Cães, enquanto as coisas se ajeitam..

"soñe otro mundo tan lejos y tan cerca
soñe otro viaje cuatro caminos cinco destinos
soñe la risa soñe la ilusion
soñe otro mundo
soñe menos joda"

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Facebook

Well, né, gente... agora eu tenho uma página do blog no facebook.

Coloquei aqui aquela caixinha de curtir a page, mas tá laaa em baixo, lá no roda-pé do blog.

Por via das dúvidas, esse aqui é o link: http://www.facebook.com/APaquistanesaOcidental

Dá uma força pra tia aqui e "curti" lá a page, vai! custa nada.

óia lá hein, ô! num vai fazer gracinha, tobinha doce, hein?

Dê uma passada no meu Tumblr, também Yallah! Yallah!

Conto com vocês ladies!

Beijo, Beijo.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Não, pera...


Imagem no tamanho orginal AQUI. Porque os pequenos detalhes, são importantes! huahuahua

As vezes é tão difícil...


domingo, 3 de fevereiro de 2013

Paixão antiga

Eu ando um tanto introspectiva devido o novo álbum do Cheb Khaled, C'esta La Vie, o que me remeteu a minha infância. Descer correndo a calçada na rua dos Expedicionários, para encontrar a minha mãe na casa da vizinha debaixo de um sol a pino, era o que eu costumava fazer. Enquanto papeavam assuntos que não eram de meu interesse, observar os doces de banana empecavelmente embrulhados, que a vizinha fazia para vender, era justamente o que me interessava.

Gosto do Khaled desde as épocas que eu ainda comia pasta de dente Tandy. Aliás, meu apreço pela dança do ventre começou bem cedo. Com 7 anos de idade, me apaixonei pelo Rei do Raï quando ouvi na casa da vizinha e a mesma me presenteou com uma fita gravada por ela onde trazia o álbum mais antigo do Khaled, com os singles El Arbi  , Mauvais Sang , Wahrane e Didi  que foi regravada pelo Tarkan, (bebê, te amo), na versão turca Kimdi . Mais tarde, com 15 anos, eu também me apaixonei pelo sucesso Aicha , música que foi regravada por diversos cantores, como já citei nesse post aqui.   

Pois essa semana, me encontro só nos amores, por Wili Wili, a música do álbum de 2012, onde mais uma vez me impressiono com a voz do grande Cheb Khaled, que me faz sentir algo tão especial, que eu não sei nem explicar, mas, ah!.. é sério, o cara é foda mesmo.


sábado, 26 de janeiro de 2013

My Name is Khan

Pra quem ainda não assistiu, claro, recomendo que assista. É um filme incrível. Uma colega no facebook compartilhou um link onde podemos assistir "Meu nome é Khan" online e achei interessante compartilhar por aqui também.

Pega a pipoquinha, coisinhas de gordo e afins, se joga e aproveitem o final de semana.

E ó! não é vírus não viu? Pode clicar aí, sem frescura.

Link do filme, aqui: My Name Is Khan

domingo, 13 de janeiro de 2013

até a princesa Diana...

É negada, um dia desses, eu asssisti um documentário sobre o infeliz casamento da Princesa Diana com o Príncipe Charles. Para quem não sabe, Diana era uma esposa desprezada por um marido frio, apaixonado por outra mulher e tão feio que parecia estar com cãibra no rosto.

Depois de três anos separada do Príncipe Charles, Diana se apaixonou por um Khan, o  grande amor da sua vida. Hasnat Khan, um cardiologista paquistanês. E esse foi o romance mais importante da vida da princesa, onde Diana teria até cogitado converter-se ao Islã.

Ela visitou os familiares do médico no Paquistão, vestiu-se de costumes tradicionais e realizou as ações de caridade em prol de um hospital do câncer paquistanês, que segunda a autora da biografia de Diana, era para impressionar Khan.

Dei uma googlada aqui e ali, e descobri que logo sairá o filme "Caught in Flight", um filme biográfico sobre o romance de Princesa Diana com um paquistanês, que terá como protagonista a atriz Jessica Chastain. Esta previsto para ser lançado ainda esse ano. Legalzinho, né?

Diana em Lahore, no Paquistão, com o jogador de críquete Imran Khan (1996)

Diana durante visita ao hospital do câncer no Paquistão (1996)

Diana com Salwar Kameez, a roupa tradicional do Paquistão.


 

Show Me The Stars Template by Carly Lloyd Designs