quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Corra que tem loucos por aí

Lá estava eu escarafunchando algo para assistir na véspera da minha folga, logo uns caras barbudos me chamaram atenção, usando Pakul e o vestuário tradicional do Afeganistão. Era o tal filme "Corra que tem Loucos por Aí", com um personagem chamado Michael Malone, uma parodia escrota gongando o documentarista Michael Moore.

Trata-se de um filme (americano, claro) cheio de recalque e raivinha do Michael Moore. É um pé no saco! Os estadunidenses ficaram putinhos com os documentários realistas do Michael e cagaram esse filme com piadinhas batidas, extremamente sem graça com frases do tipo "Ninguém gosta de documentário mas muita gente acha que é bom para dormir". Oi?

Forçaram a barra para tentar ofender Michael Moore e descaradamente fazer propaganda dos EUA, a ponto de dizer que os Estados Unidos é o país mais importante do planeta, (bem nesse nível). Nunca vi algo tããão chinfrim tal como este filme. Até senti aquele constrangimentozinho alheio por eles, americanos com ódinho querendo se vingar através de um cagalhão que eles chamam de filme.

Não recomendo! NUNCA.

7 COMENTÁRIOS:

Marcela disse...

Você não recomenda mas me deu vontade de ver esse filme, pra ver o ponto de vista! É casa coisa que tem por aí, né? aff...
tenha um bom fds! beijos

Anônimo disse...

Mas quem não tem "ODINHO" pelos EUA assintam, é bem legal ! hehehe.NÃO é a melhor comédia do ano, mas garanto que vc vai rir e muito!! mas REPITO: só pra quem não tem ódio do tio SAM !!

GLAUCIA

Paquistanesa disse...

Ah, sim. Recomendo o filme para quem odeia o Michael Moore e curte o Tio Sam. Ou pra quem não tem opinião formada e se diverte com qualquer comédia pastelão :)

Anônimo disse...

Quem é antiamericano adora Michael Moore. Os americanos fazem filme de tudo. Ganham mais dineiro vendendo seus filmes do que nós com o agronegocio e vale do rio doce juntos. Quem é o bobo?

Paquistanesa disse...

Eu disse isso? Americano não é bobo de jeito nenhum! Os EUA é realmente genial. Admiro a esperteza e também a frieza dos caras.

Hollywood, então? É sensacional. Os caras fazem tudo por dinheiro. Até matar gente inocente e ainda conseguem manipular o resto do mundo. Realmente, fascinante.

Mas isso não muda a minha opinião com relação a este filme que é uma verdadeira MERDA.

Beijos

Anônimo disse...

Embora minha tendência política seja a esquerda moderada, algumas de minhas comédias favoritas são assinadas por David Zucker, cuja tendência é a direita. "Top Secret", "Apertem os Cintos... o Piloto Sumiu!" e "Corra que a polícia vem aí" (os 2 últimos, respectivamente, "O Aeroplano" e "Onde Pára a Polícia" em Portugal) são excelentes filmes, muito engraçados!
Zucker produziu este "Corra que tem loucos por aí" por um compromisso ideológico, mas não o dirigiu provavelmente por saber que se há uma cilada nele: Posicionando-se contra a atual luta para tornar o povo norte-americanos menos armado e aficionado por armas de fogo, contra a separação entre Igreja e Estado no poder judiciário e contra leis internacionais sobre tortura de prisioneiros de guerra, o filme só poderia elaborar piadas engraçadas se recorresse ao humor negro, mas não pode fazê-lo porque é conservador e destinado "para para toda a família" (as criancinhas ainda inocentes, o vovô e a vovó da época do humor pastelão não entenderiam).
Resultado: Como defender o envio de jovens para a guerra e ser engraçado e politicamente correto ao mesmo tempo? com piadas do tipo "vamos invadir o país deles e quem atirar em nós é mau"? resultado: O filme é tão fraco que chega a ser constrangedor realmente.

Anônimo disse...

Embora minha tendência política seja a esquerda moderada, algumas de minhas comédias favoritas são assinadas por David Zucker, cuja tendência é a direita. "Top Secret", "Apertem os Cintos... o Piloto Sumiu!" e "Corra que a polícia vem aí" (os 2 últimos, respectivamente, "O Aeroplano" e "Onde Pára a Polícia" em Portugal) são excelentes filmes, muito engraçados!
Zucker produziu este "Corra que tem loucos por aí" por um compromisso ideológico, mas não o dirigiu provavelmente por saber que se há uma cilada nele: Posicionando-se contra a atual luta para tornar o povo norte-americanos menos armado e aficionado por armas de fogo, contra a separação entre Igreja e Estado no poder judiciário e contra leis internacionais sobre tortura de prisioneiros de guerra, o filme só poderia elaborar piadas engraçadas se recorresse ao humor negro, mas não pode fazê-lo porque é conservador e destinado "para para toda a família" (as criancinhas ainda inocentes, o vovô e a vovó da época do humor pastelão não entenderiam).
Resultado: Como defender o envio de jovens para a guerra e ser engraçado e politicamente correto ao mesmo tempo? com piadas do tipo "vamos invadir o país deles e quem atirar em nós é mau"? resultado: O filme é tão fraco que chega a ser constrangedor realmente.

Postar um comentário

que tal?

 

Show Me The Stars Template by Carly Lloyd Designs