quarta-feira, 30 de maio de 2012

Jogando merda no ventilador

Não escolhi jornalismo pelo simples fato de ter um histórico ruim no ensimo médio e ser a decepção do papai (que é engenheiro) em exatas ou muito menos para aparecer na televisão. Digo isso porque vi muito babaca começando o curso só porque não possui números e outros que decidiram ser jornalista por causa da Fátima Bernardes e William Boner.

Mas apesar de ser uma verdadeira otária em matemática, física, química e afins, minha história com o jornalismo foi caso pensado. Escrever sempre foi meu paraíso e da época de escola, só consigo me lembrar das aulas de história e geografia. Mas olha só que romântico: eu sentia que tinha uma missão com o jornalismo.

A princípio, quando entrei na faculdade a 4 anos atrás, meu interesse era na área de jornalismo internacional, o famoso "correspondente", onde o jornalista visa acontecimentos estrangeiros para o país onde se localiza o veículo de imprensa em que trabalha. Eu, com a ilusão de que a mídia é o quarto poder e os jornalistas podiam mandar no país (em épocas que derrubavam governos), tinha o sonho de ser correspondente de guerras e acontecimentos no Oriente Médio.

E sabe como é aquela história de adolescentezinho mocorongo, acreditava que minha missão era poder mostrar a realidade que a mídia não mostra para o mundo. Meu objetivo era acabar com esse preconceito ocidental contra a cultura islâmica, quebrar essa manipulação nojenta e parar com os mitos sobre o Oriente Médio. Manipulações feitas desde desenhos animados, filmes hollywoodiano até as famosas notícias enviesadas. Onde muçulmanos são confundidos com árabes vilões, terroristas e fundamentalistas.

O problema é que os meios de comunicação que tem o poder para tal, preferem se preocupar com merdinhas que julgo irrelevantes, pois só enfatizam aquilo que é de seus interesses, mesmo porque todos possuem rabo preso com políticos . E o jornalista que decide jogar a real no ar, acaba desempregado e falido.

A TV é uma verdadeira maquina incessante de fazer nada. Televisão não tem compromisso com a verdade e muito menos com a informação, é tudo mentira. A transmissão jornalística por exemplo, nunca é o fato em si como muitos acreditam. Mesmo porque tudo o que vemos em uma transmissão ao vivo é resultado de escolhas de muitas pessoas que se interferem para ganhar audiência e obviamente dim dim! A câmera nunca se encontra fixa em determinado lugar e muitos acreditam na errônea idéia de que a transmissão ao vivo é pura.

Logo me desiludi quando descobri que o jornalismo sério e imparcial está quase extinto e que hoje o jornalista já não é mais o porta voz da verdade. Coincidentemente, no ano em que entrei na faculdade, em 2009, foi o mesmo ano que implantaram aquela lei da não obrigatoriedade do diploma de jornalista e aí tudo virou uma palhaçada. Uma profissão que já não dava dinheiro nenhum, passou a ser extremamente desvalorizada de um dia para o outro.

Cheguei na metade do último ano muito desgastada e virei a casaca. Meu amor próprio falou mais alto e descobri que para escrever sobre algo que gosto, não preciso necessariamente ganhar mal e trabalhar feito um escravo em um meio de comunicação para escrever coisas a favor da linha editorial do veículo que muitas vezes vai contra nossos valores e pensamentos.

Portanto, tranquei a faculdade na metade do último ano. Eu posso concluir o meu curso algum dia, mas agora preciso pensar. Vou viajar e aí... só Deus sabe!

4 COMENTÁRIOS:

Vitor Augusto disse...

Olá Thalita! Realmente a perspectiva para os futuros jornalistas que vejo, hoje, são desanimadoras! Fiquei feliz de vê-la com tanta vontade de aprofundar nas pesquisas sobre a manipulação midiática (motivo pelo qual me animo por ter ajudado). Espero que encontre novos anseios e quem sabe, respostas, nas próximas viagens! Boa sorte no novo rumo, mas por favor, não esqueça da sua função social, independente se estará na área da comunicação ou não. A internet e o blog vai te ajudar demais!
E não deixe de acessar o blog pois sempre estaremos com novidades, rs! (agora somos .com) =D
Enfim, boa sorte no nova caminhada!

Paquistanesa disse...

Oi Vitor, que honra te ver por aqui! Claro, sempre estarei acessando o bhumanas.wordpress.com, que é um blog sensacional. Com certeza nunca me esquecerei da minha função social. Obrigada pela ajuda! (olha a charge que você me mostrou aí) :D

ჱStéfani Aicha disse...

Ayeshah, é uma pena que tudo isso acontece.

De qualquer forma, gostei muito do seu post e vou compartilhá-lo no meu facebook.

Depois me conta dessa viagem se puder, rsrsrs. Beijão flor e obrigada pelos comentários. <3

Anônimo disse...

O jornalismo nunca é imparcial, já que o evento sempre passa pelo filtro da pessoa que o registra.

Postar um comentário

que tal?

 

Show Me The Stars Template by Carly Lloyd Designs