quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

blá blá blá blá...

Ai que preguiça dessa atitude desesperada das pessoas de sensacionalizar a própria vida no facebook. Preguiça daquele religioso que encontra qualquer brecha pra falar de Deus. Preguiça de garotos já marmanjos, que não conseguem sair da adolescência. Preguiça desse Chapolin Sincero sem graça. Daquelas fotos ridículas com o copinho de plástico na mão. Argh, detesto aglomerações, bebedeira e música alta. 

 Preguiça de mulher que vive em função de homem. É um pé no saco conversar com pessoas que depositam sua felicidade em outrem. Ah sim, preguiça de "universitários" também. Preguiça de quem usa salto alto no Shopping. Daquela vitrine cafona, com sapatos coloridos de plástico (Melissa) e do livro "Cinquenta Tons de Cinza". Preguiça de gente desprovida de senso de humor. De quem gosta de Vodka, brigadeiro, perfume 212, Adele, Comida Japonesa, Rihanna, Kate Perry, "Sexta-Feira".. e ah! de quem tira foto na piscina e diz "Nem ta bom". E por favor, só estou um pouco enjoada e mal humorada. Me erra, ne?

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Peregrina de Araque

É legalzinho.


Comprei o livro essa semana e em três dias terminei (algo que só o desespero faz). Mas é gostoso de ler. A Mariana Kalil (autora) é uma jornalista brasileira que foi escolhida pela direção do jornal Zero Hora para acompanhar uma peregrinação religiosa. Sem se preocupar em ser politicamente correta, Mariana narra essa viagem de 35 turistas, na companhia de um frei e de um padre, pelos caminhos feitos pela Santa Família no Egito, na Jordânia e em Israel. 

Recomendo sim, é interessante :)

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Henna (Mehndi)


A imagem mostra uma bela tentativa de Mehndi. Valeu a intenção, já que belas tentativas nunca servem para nada. Mas, tsá... foi a minha primeira vez, vai!

Me deu um fogo no toba e resolvi comprar uma henna importada da Ìndia para decorar minhas mãos. A henna é essa aqui: clicar no link. Teoricamente ela seria feita para ir apertando e desenhando, onde basta furar a pontinha com o alfinete (que vem junto ao tubinho) e estaria pronta para usar.

Acontece que depois de várias tentativas de furos e alfinetadas no meu dedo, o resultado foi algo odioso, porco e grosseiro. Fiquei tentando encontrar quais seriam as outras maneiras de decorar minha mão e depositar o mehndi da melhor forma possível.

Pois eu tentei pincel de esmalte e pincel de delineador que só pioraram a situação. Entendi que para fazer esse tipo de trabalho, o ideal seria algo fino com uma pontinha mais "firme". De repente, uma lâmpada se acendeu em meu cérebro e me lembrei do meu Hashmi Kajal do Paquistão. A tampinha do Kajal, gente, parece que foi feita para isso. E não deu outra, foi aquilo mesmo. Show!

É até coincidência né, tipos urr durr, a tampinha do Kajal do Paquistão deu certinho pra desenhar com henna. Mas sei lá, vai saber se os caras não quiseram matar dois coelhos em uma cajadada só. Já que a henna por lá, faz parte do enfeite femenino, assim como o kajal nos olhos: Super Hashmi Kajal para os olhos com aplicador de Mehndi. Adquira logo o seu! Bonita com praticidade.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

FOTOS: Espetáculo As Cores e a Mágia da Dança Árabe

Postei algumas fotos da apresentação desse ano e aproveitei para postar algumas fotos dos outros anos. Me perdoem, por enquanto as únicas fotos desse ano são essas, pequenas! Mas tem uma setinha, olha eu lá.

Teatro Pedro II, esse ano dancei um baladi (significado de baladi):




                             
Teatro Municipal, 2011, Dança com a espada


Teatro Minaz, 2010, Dança do Ventre Clássica, com véu



quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Obreiros do Bem

Eu havia deixado um estágio em Assessoria de Imprensa para entrar na Obreiros do Bem, o Núcleo de Assistência Social no qual trabalho desde fevereiro. Confesso que estágio nenhum na área de jornalismo me faria adquirir um crescimento (tanto na vida pessoal) como na vida profissional, como adquiri na Obreiros.

Ajudar jovens e crianças carentes, a respeitar, crescer e evoluir socialmente não tem preço. Parece clichê, mas aquela história que um pequeno gesto nosso pode ter um valor enorme para quem recebe, é verdadeira.

Mas chegou a hora de deixar esses pequenos, hoje, com o coração apertado, foi o meu último dia na Obreiros do Bem. Sinto como se mais uma etapa da minha vida fosse cumprida e daqui um mês, se dará início a nova etapa, no Canadá.



quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Missão cumprida

Ê dai-lhe ritalina! né? Tirando o fato de eu ter que ficar sem comer o dia inteiro, para garantir a apresentação, o espetáculo foi ótimo, ahamdulillah.

Sim, pra variar estou com piriri fazem três dias. Pois é, 2012 foi o ano da caganeira, oh lord! Fizeram alguma mandinga pra mim, porque além de ter várias caganeiras, nenhuma prestou pra emagrecer.


Eu mesma fiz a maquiagem. Aliás, não gosto que me maqueiem, ninguém consegue tirar minhas olheiras monstro, de turco. Portanto, não gonguem ..

Em breve terá fotchenhas. Curtam essa delícia de baladi, que dancei essa noite:

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Melissa, a queridinha das meninas

                                      
Acho cafona. ( a menos que você tenha 10 anos de idade e as usou com meias, em 1999.)
 
Eu particularmente acho Melissa um erro. Eles simplesmente pegam um lindo modelo de sapato e os fabricam em versão plástico. Não, não dá. Eu realmente não consigo notar nenhum charme nisso. Essa idéia de usar sapato de borracha nunca entrou na minha cabeça. Borracha nos pés, em minha opinião, só se for para ir à piscina e mesmo assim, amo as clássicas e queridas havaianas. 

Falando em clássicos, a Melissa já confeccionou até mocassim, igualzinho os sapatos do Ken, horroroso. Gente, mocassim! de borracha! 

Não fode, né?

domingo, 18 de novembro de 2012

Oba, oba! Israel conseguiu acabar com alguns terroristas.

Quatro irmãos da família Al Daloo, de Gaza.

Uau! Quatro terroristas mortos!

Grande Israel! novamente massacrando a Palestina, com a velha e clássica desculpa de que os "terroristas palestinos" são a causa desse conflito. E o que mais me emputece é que tem quem acredite!

E não se trata de uma atitude de "defesa"de um governo ameaçado não! Trata-se de uma estratégia de verdadeiro extermínio de uma população.

Resultado? É isso aí, um número crescente de mortos em Gaza, entre eles uma grande parcela de crianças mortas.

Deixo aqui uma pequena amostra do que os Palestinos tem sofrido durante anos. Imagens da família Al Daloo, residente no bairro Al Nasser em Gaza. Foram 12 pessoas da família mortas por Israel. Entre as crianças, a mais velha tinha 7 anos. Pai, mãe e avós, todos foram mortos.



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Espetáculo de Dança - As Cores e a Magia da Dança Árabe

Ladies and gentlemen!

Ribeirão Preto e região!

Dia 21 de novembro. quarta-feira, às 20h, o Theatro Pedro II apresenta o Espetáculo de Dança - As Cores e a Magia da Dança Árabe.

O Estúdio de Dança Alini Jndia junto ao Clube Sírio Libanês, celebra a Independência do Líbano. Além de recriar e divulgar as danças e músicas dessa cultura, o espetáculo irá contar um pouco da história de imigrantes e descendentes que se fixaram nesta cidade e região. O espetáculo é uma oportunidade para fortalecer a Dança Oriental Árabe na comunidade ribeirãopretana. 

E é claro, estarei lá firme e forte, com o meu baladi. Vou fazer a Haifa Wehbe, já que a Alini (minha professora), me pediu para incorporar uma personalidade "maliciosa". É só uma maneira de treinar caras e bocas. Te espero por lá! beijos.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

lição de casa (dança do ventre)

Desenvolver uma personalidade com exercícios de caras e bocas no espelho. Devo dizer que encontrei minha inspiração. Só que não:


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

mashallah mashallah! ♫

Dedico para as neides, noveleiras, que estão acompanhando a nova novela das nove, Salve Jorge.
É aquela música.. da parte que aparece os turcos e a Turquia:



segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Lembranças da Holanda, no Brasil

Estou num daqueles dias fodidos onde minha cabeça dói até pra falar. O calor seco e abafado de 40ºc com sensação térmica de 45 não ajuda (isso quando de fato não faz 44ºc) . Colocar o ar condicionado no 20ºc a noite inteira, ajuda menos ainda pra minha saúde. A dieta foi pro saco, segunda-feira é sempre uma merda, horário de verão sucks e TPM uó.

No entanto, essa semana que passou, recebi a visita de uma amiga holandesa, a Rosalinde, que está no Brasil fazendo intercâmbio e morando no Rio de Janeiro para estudar Português. Eu a conheci na época em que vivi em Amsterdã.  Apaixonada por essas terrinhas tupiniquins, a guria viajou (e de buzão hein) do Rio de Janeiro até Ribeirão Preto para me ver. Pode?

Embora a caganeira fora inesquecível, foi uma semana agradável que me trouxe lembranças dos embalos de Amsterdã.

Paquistanesa Ocidental e uma Brasileira Europeia.

Rosalinde me arrastou para a piscina. Sou do tipo que foge do sol igual cabelo pixain foge da chuva pra não estragar a chapinha (sorry, meu cabelo liso é natural). Pois é, sou um pé no saco mesmo, tenho fotofobia e enxaqueca.

Daqui a pouco estarei no Canadá e dizem que lá faz um frio do cão, não é? Pois logo estarei aqui reclamando disso também. É, em janeiro vou para Toronto passar uns tempos por lá e turbinar o meu "engrish".

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Não, pera...

Não me venha com aquele papo que quero justificar algo (essa é clássica, né?). E antes que algum imbecil me venha com essa, já digo que não estou justificando mortes e perdas, ainda mais quando trata-se de Guerra. 

Só quero dizer que todo assunto pode ser discutido. Ser uma pessoa questionadora é o maior antídoto para a ignorância, ainda mais quando tratamos de "Manipulação da Mídia".

Estou dando um "Ctrl c + Ctrl v" em algo, um tanto intrigante, que li na página do facebook chamada "Tempo de Acordar":

Osama bin Laden foi chamado de "guerreiro" quando estava lutando contra os russos. Mas quando lutou contra os EUA, foi denominado "terrorista".

"Infelizmente, a maioria da mídia internacional é controlada pelo Ocidente (lobby). A menos que você (os muçulmanos) tenha seus próprios meios de comunicação, eles (ocidentais) podem muito convenientemente converter o preto em branco, o dia em noite, um herói em vilão e um vilão em herói"
Dr. Zakir Naik.


http://www.facebook.com/TempodeAcordarparaoIslam

domingo, 7 de outubro de 2012

Salve Tarkan!


Tô feliz!

Mais uma vez recebemos a confirmação, da Gloria Perez, que a nova novela Salve Jorge terá não só uma, mas DUAS músicas do Príncipe! Mais tarde ela disse que não se lembrava o nome das músicas, mas que uma delas é "a do beijinho". Ou seja? Será o grande sucesso Simarik, uii delícia! 

Ah tá, ta bom. Eu que detesto TV estou aqui falando da nova novela das 9, Rede Globo, alienação, eu sei. Mas, poxa, estou falando do TARKAN. Tenho esperança que não precisarei fazer aulas de spinning com a música Dança Kuduro versão Latino, (sim, versão LATINO) e espero não ser obrigada a ouvir Adele tantas vezes.

O povo se aliena mesmo, logo, dessa vez, que seja por Tarkan! :)

Enfim. Salve Tarkan!

eu te amo, bebê! mwah :)



quinta-feira, 27 de setembro de 2012

A feira!

Vejam só! Já começaram a vender panetones nos supermercados e o final de setembro esta aí! Gente, é só pra mim que o tempo está voando assim? assustador.

Well... nos últimos dias estive na III Multifeira Internacional, que é babado. Trata-se de uma feira internacional que visitou minha cidade e reúne 23 países, entre eles estão: Paquistão,Índia, Tunísia, Marrocos, Indonésia, Síria, Ilha de Java, Kenia, Peru, Japão, Ghana, República Tcheca, Rússia, (bla, bla, bla) e mais 12 estados brasileiros.

E é um tal de bordados, decorações, jóias, roupas, penduricalhos e todos os tipos de badulaques que eu amo, acompanhados com a cultura, o costume e a história de cada país. E as pashiminas na estande dos meus amigos indianos? não poderiam ser mais lindas. Sem contar com os doces árabes que são uma verdadeira falta de educação. Maaaas a feira se foi. Agora estão em São José do Rio Preto, então, você que também é uma "Maria Oriente" de Rio Preto, já sabe, aproveite.

Luminárias Turcas

Pashiminas enroladas por mim (estande Índia)


Pulseiras Paquistanesas

Bolsinhas Paquistanesas




terça-feira, 11 de setembro de 2012

só pra não passar em branco

11 de Setembro (11 anos).


quinta-feira, 6 de setembro de 2012

go Maasai, go Maasai!

Porque hoje é véspera de feriado e eu adoro Manu Chao.
Essa música é um tanto boa com um clip genial. Rainin In Paradize:



OBS: Aposto que quem sente ódinho do Tio Sam como eu vai curtir, hauhua (ai meu cu)

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Corra que tem loucos por aí

Lá estava eu escarafunchando algo para assistir na véspera da minha folga, logo uns caras barbudos me chamaram atenção, usando Pakul e o vestuário tradicional do Afeganistão. Era o tal filme "Corra que tem Loucos por Aí", com um personagem chamado Michael Malone, uma parodia escrota gongando o documentarista Michael Moore.

Trata-se de um filme (americano, claro) cheio de recalque e raivinha do Michael Moore. É um pé no saco! Os estadunidenses ficaram putinhos com os documentários realistas do Michael e cagaram esse filme com piadinhas batidas, extremamente sem graça com frases do tipo "Ninguém gosta de documentário mas muita gente acha que é bom para dormir". Oi?

Forçaram a barra para tentar ofender Michael Moore e descaradamente fazer propaganda dos EUA, a ponto de dizer que os Estados Unidos é o país mais importante do planeta, (bem nesse nível). Nunca vi algo tããão chinfrim tal como este filme. Até senti aquele constrangimentozinho alheio por eles, americanos com ódinho querendo se vingar através de um cagalhão que eles chamam de filme.

Não recomendo! NUNCA.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

hihihihihi

huahuahau, sensacional!

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Clip novo TARKAN

Merhaba!

Estava quase me esquecendo de postar o novo clip do príncipe que saiu em julho. Embora a canção fale de um amor que não deu certo, a música é animada e contagiante. Sou suspeita para falar, né?

Tarkan - Ask Gitti Bizden (O Amor nos Deixou)



Tarkan, te amo.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

genocídio, espancamento, matança, massacre, não interessa.

To bege!

Um Deus-nos-acuda lá em Burma, com ataques à população islâmica local, por parte dos Budistas que já matou impiedosamente mais de 20 mil muçulmanos e o mundo continua em silêncio. É assustador também, o silêncio da imprensa, que está escondendo essa matança, com direito a espancamentos até a morte e estupros.

É impressionante ver que até agora ninguém se pronunciou em se rebelar a essa covardia. Como pode a mídia internacional se calar diante de um genocídio onde Budistas estão fazendo a festa e até queimando os muçulmanos!?

Ah tá, lógico. Não é interessante retratar os muçulmanos tal como vítimas. Eles são fanáticos e terroristas.

domingo, 12 de agosto de 2012

Gaza, U.S.A, Israel and world

terça-feira, 31 de julho de 2012

O sucesso de why this kolaveri kolaveri kolaveri di!

"Why This Kolaveri Di" foi anunciado pela CNN como o video musical mais popular de 2011 e, nossa! nunca vi tanta gente bonita reunida em um só video clip :)



A música ganhou fama quando a gravação em estúdio foi parar na internet e rendeu muitas visualizações. De repente todo mundo resolveu fazer uma versão própria para ela.

Ram é o personagem que Aishwarya Dhanush interpreta no filme "3", em que sua desilusão amorosa acaba lhe trazendo problemas psicológicos. "Why this Kolaveri Di" é a música da cena em que Ram sofre por ter sido rejeitado pela namorada.

Viciei nessa música quando o paquistanês me mostrou. Ainda vou aprender essa coreografia e dançar dessa forma em homenagem as lindas decepções amorosas (hehehe)

quinta-feira, 19 de julho de 2012

TDAH e os caminhos para qual ele pode me levar...

É evidente que a maioria das garotas que se enrolaram com esses príncipes árabes, paquistaneses, indianos, Khans, Mohammads, Ali Babas, Abduls, Alladins e afins, muitas vezes tiveram grandes decepções com os tranqueirões ocidentais. É até compreensível ver que muitas dessas garotas jamais voltaram atrás para a diversão dos brasileiros.

Pois acordo logo após um infeliz sonho que me fez sentir aquela triste e doce nostalgia. É o meu momento Spending My Time - Roxette. Levanto da cama, olho para aquele mesmo pôster da Palestina, que ganhei de presente e ainda está no meu mural. Acho que já é hora de tirá-lo de lá (ou não). Abro a janela do meu quarto, os raios de sol entram e o céu esta do jeito que eu gosto. Sem nuvens, tão bonito e azul.

Então me dei conta que as doces lembranças já estão nos álbuns amarelados da minha memória. Não consigo mais me lembrar perfeitamente do sorriso daquele que um dia ocupou o lugar mais bonito do meu coração. Na verdade não faz mais sentido eu me lembrar (só que eu lembro). De vez em quando eu consigo desenhá-lo perfeitamente em meus sonhos, mas pela manhã ele se vai, assim como aconteceu hoje.

No espelho do banheiro, olho por alguns segundos, com um sorriso sutil, me orgulho por não acordar descabelada e ser liso natural (sorry). Odeio acordar como se nada fizesse sentido. Onde está a Ritalina? Desço a escada com o meu penhoar preto, como uma princesa melancólica até o momento em que levo um tombo e bato minha bunda com tudo no degrau da escada. Raspo o meu cotovelo: ai, pohaa!

Relacionamentos fracassados sempre dão nisso. Sabe como é, amores brasileiros passados em que levamos no toba (hehehe). Literalmente, pois,
como se não bastasse os hadoukens dados em meu coração agora quem senta-se como quem sofre de hemorróidas, sou eu.


quarta-feira, 18 de julho de 2012

O patinho feio

Como eu já havia dito antes, eu pratico dança do ventre à quatro anos. A cada ano o Estúdio de Dança Alini Jndia promove um grande Espetáculo de Dança do Ventre. E como sempre, eu e o meu lindo DDA apanhamos para decorar a coreografia. O ano passado, por exemplo, o meu drama foi a finalização com a espada. Eu não conseguia de forma alguma dar aquela giradinha com a espada na mão. No final deu tudo certo, ahandulillah! (aposto que as muslimah da vida viram me gongar por eu apresentar em público)

Esse ano estou sofrendo com o passo chamado "patinho", (pois é...). Os nomes dados para os passos na dança do ventre aqui no Brasil, costumam ser bem diversificados; Tem o redondinho, o redondão, o oito, o patinho, entre outros...

O pior é que procurei no youtube e não achei esse passo em lugar nenhum, então vou tentar explicar mais ou menos em palavras. No caso, na coreografia, eu tenho que me deslocar, ou seja andar com esses passinhos:


No momento que eu dou um passo para frente com a perna direita alongada, imediatamente o papel da perna esquerda é dar uma empinadinha no bumbum. É! Ou seja, a perna que dá o passo é alongada e a outra perna não fica alongada pois serve para dar uma empinada no bumbum. E o deslocamento acontece dessa forma, ando para o lado, ao mesmo tempo empinando o bumbum para atrás.

Minha professora me passou como dever de casa, treinar o patinho. Foi o que eu fiz. Porém, quando coloco a música para encaixar o passo na coreografia, eu fico com vergonha porque fica parecido com aquele passinho:

Pule para o minuto 1:07:





quarta-feira, 11 de julho de 2012

uma trilogia entre Amazonas e India: "Entre nós dois..."

Izis Negreiros nasceu no Amazonas, é escritora, fotógrafa, roteirista e produtora de filmes com vários prêmios de roteiro no Brasil. A obra “ENTRE NÓS DOIS...” é seu primeiro romance ficcional e faz parte de uma trilogia entre Amazonas e Índia. O livro traz consigo vários encontros com a cultura indiana, sua filosofia de vida e sensibilidade humana.

Top hein? Eu ainda não li, mas confesso que estou louca para ler. Achei interessantíssimo! Conheci através de uma amiga que mora em Islamabad, no Paquistão, a Patrícia que é amiga da Izis Negreiros, a autora do livro.

Vi também no blog "Sempre Artigos" que o melhor desta narrativa é o despertar de valores esquecidos em nossa sociedade que esquece do humano e finca raízes na busca do materialismo.


Ah, eu quero esse livro já!!

Sinopse: Do retorno a India, as transformações - pedaços - do amor que transcedeu a alma e suportou a desesperança da espera de uma distância, passando pelos mistérios dolorosos das emoções profundas daqueles que amam ou deixam de amar, recordados em Chhatrapati Shivaji, na cidade de Mumbai.
Num singelo e delicado esforço de conectar Nina neste mundo de fantasia, de realidade e de afetividade ao apresentá-la a sua - ponte do destino - Vania Gupta arremete-lhe rumo ao passado, rumo as suas origens.


Curta e participe da página do livro no Facebook:

quinta-feira, 5 de julho de 2012

A Cidade do Sol

Organizando minhas tranqueiras achei "A Cidade do Sol" no meio de uma pilha de livros. Me pergunto como nunca havia comentado sobre este livro por aqui antes? O autor é o mesmo do "Caçador de Pipas", (Khaled Hosseini), e eu praticamente comi esse livro na época em que peguei para ler.

Um dos melhores livros que já li.

Sempre achei essa história mais envolvente que O Caçador de Pipas e pooo... Merecia um filme também! Sensacional. O Khaled Hosseini descreve tudo nos mínimos detalhes e em poucos segundos você já está lá no Afeganistão. Sim, neste livro a história também se passa no Afeganistão, porém através da história de Mariam e Laila, as personagens principais.


Todas as pessoas para quem indiquei o livro também confirmam que é uma história surpreendente. E um tanto emocionante viu, me levou as lágrimas várias vezes.

Recomendadíssimo! Se quiser emprestado, me liga! Beijos.

Sinopse - A Cidade do Sol

Mariam tem 33 anos. Sua mãe morreu quando ela tinha 15 anos e Jalil, o homem que deveria ser seu pai, a deu em casamento a Rasheed, um sapateiro de 45 anos. Ela sempre soube que seu destino era servir seu marido e dar-lhe muitos filhos. Mas as pessoas não controlam seu destino. Laila tem 14 anos. É filha de um professor que sempre lhe diz - 'Você pode ser tudo o que quiser'. Ela vai à escola todos os dias, é considerada uma das melhores alunas do colégio e sempre soube que seu destino era muito maior do que casar e ter filhos. Confrontadas pela História, o que parecia impossível acontece - Mariam e Laila se encontram, absolutamente sós. E a partir desse momento, embora a História continue a decidir os destinos, uma outra história começa a ser contada, aquela que ensina que todos nós fazemos parte do 'todo humano', somos iguais na diferença, com nossos pensamentos, sentimentos e mistérios.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

2 de julho: Mabruk!

Feliz aniversário para mim!

Hoje é o meu dia! Sou agradecida por mais um ano de vida e estou feliz que hoje é meu aniversário. Não existe ninguém que me ame mais do que a mim mesma e isso é tudo! :)

Muitas pessoas, não sei porquê, tem aquela mania cafona de ficar deprimido no dia do aniversário. Ou então de fazer aquele dramalhão escroto da síndrome de "Olhe pra mim, por favor!", esperando MUITO dos outros.

Por exemplo quando alguém que você gostaria que ligasse no dia do seu aniversário, não liga. Nah, eu sempre esqueci o aniversário de todo mundo, se o aniversário for levado como o Dia Internacional das Expectativas, acredite, sempre será uma bosta. Pô! o aniversário é meu e não há ninguém mais feliz do que eu mesma por estar completando mais um ano de vida.

Penso que a melhor atitude nessa situação - já que faz tanta questão que determinada pessoa ligue - Pegue o telefone e ligue você mesmo para lembrar! "Oi, hoje é meu aniversário! É uma data muito especial para mim e adoraria compartilhar este momento com você através desta ligação"

kkkkk





domingo, 10 de junho de 2012

Versão indiana de "Stand By Me"

É da trilha sonora do filme bollywoodiano Ra.One.
A versão indiana da música "Stand By me" do Ben E. King:

Dildara


E para quem não conhece, só clicar para ouvir a versão original de Stand By Me, sucesso do cantor Ben E. Kings nos anos 60: Stand By Me - Ben E. Kings

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Just a Kiss ou Ae Fond a Kiss

Achei uma merda.


É um dramalhão romântico entre uma européia e um paquistanês. Os dois se apaixonam e o drama gira em torno daquela velha história da tradição familiar paquistanesa do casamento arranjado.

Acredito que a maioria das garotas que fazem parte dessa blogosfera de ocidentais enroladas com paquistaneses já assistiu ou ouviu falar do filme Just a Kiss/Ae Fond a Kiss. Desculpe-me a falta de criatividade, mas acho interessante lembrar para quem nunca ouviu falar.

Quanto ao fato de eu achar uma merda, não significa que você também será adepto da mesma opinião. Por isso, vale a pena conferir, talvez você se identifique e se apaixone pelo o romance, como muitas outras garotas. Porém deverá procurar para baixar na internet, acho difícil encontrar em locadoras aqui no Brasil. Já faz muito tempo que assisti. Na época fiz o download em algum site que nem me lembro mais.

Não gosto de fazer a "wikipédia" no blog. Gosto sim de apresentar um filme, um livro ou qualquer outra coisa, mas em cima de um ponto de vista.

O filme não me agradou e tão pouco me emocionou. Primeiro porque o filme se passa na capital da Escócia. Ou seja? O filme não apresenta nem um terço da cultura paquistanesa e nem mesmo o Islam é mostrado. O mocinho do filme, Casim, é DJ, um paquistanes extremamente ocidentalizado, totalmente diferente da maioria dos paquistaneses, o que foge daquela idéia do "contraste cultural" e torna o romance dos dois sem sal. Eu acho.

É diferente, por exemplo, de A Massai Branca. A história real que conta a saga da suiça Corinne Houfmann, durante uma viagem ao Quênia e apaixona-se perdidamente por um africano, guerreiro da tribo Massai, por quem decide largar toda sua vida no primeiro mundo, incluindo seu negócio, sua família, sua rotina, por uma paixão avassaladora. Nesse filme (e também no livro), mostra as verdadeiras dificuldades de um amor, digamos assim, intercultural, como o fato de não falarem a mesma língua e de terem costumes e crenças, completamente diferentes. Detalhes, que em minha opinião, tornou essa história de amor muito mais envolvente e realista.

Enfim...


Just a Kiss, trailer:



Just a
Kiss, sinopse:

"Casim é filho de Tariq e Sadia, imigrantes paquistaneses que se instalaram em Glasgow, na capital da Escócia. Eles preparam um casamento arranjado para Casim com sua prima Jasmine, seguindo a tradição muçulmana. Jasmine está prestesna chegar à Escócia. Casim, que é DJ, sonha em montar sua própria casa de festas e tem sua vida mudada completamente quando conhece Roisin, professora de música numa escola católica. Os dois se apaixonam e decidem ficar juntos. No entanto eles terão que enfrentar a incompreensão tanto de católicos quanto muçulmanos para fazer valer o seu amor"

terça-feira, 5 de junho de 2012

Tarkan em horário nobre, Brasil

A proposta é boa.

Há alguns meses atrás a Glória Perez divilgou no twitter que sua nova novela será ambientada na Turquia. Logo, o Fã Clube do Tarkan, aqui do Brasil, começou um movimento junto com os fãns brasileiros através de twitter, blogs e afins, pedindo para autora incluir alguma música do príncipe na trilha sonora de sua nova novela. O objetivo do Fãn Clube é "trazer o Tarkan ao Brasil."

Eu também ajudei a pedir, hihihi. E acho mais do que justo, pois Tarkan tem importancia na cultura musical da Turquia, SIM. Já que é um dos grandes ídolos da musica pop Turca desde os anos 90, com duas décadas de fama, Tarkan é o cantor mais famoso da Turquia.

Ontem, por twitter, uma fãn perguntou para a Glória, se enfim teremos ou não as músicas do príncipe na sua nova trama e a novelista respondeu que SIM!

Poxa, apesar de não ter paciência para Rede Globo, eu estou muito feliz pela notícia que recebemos. É sempre bom incentivar algo diferente pois a cultura inútil que a TV tem nos proporcionado nos últimos tempos é de foder.

Até na academia, nas aulas de spinning, uma professora colocou a música "Eu quero Tchu, Eu quero Tcha" e "Dança Kuduro". Imagina o mico que eu paguei subindo e descendo na bicicleta com essas músicas que serviram para me deixar constrangida, me cansar e tirar o meu incentivo. Quem sabe agora, o pessoal não substitui por Tarkan?


Agora é só esperar e "ouvir" pra crer, pela novela denominada "Salve Jorge" que começará em outubro.

Tarkan Brasil Fã Clube Oficial: www.tarkanbrasil.com.br

Tamanho da fonte
Negrito
Cor do texto
Link
Justificar

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Jogando merda no ventilador

Não escolhi jornalismo pelo simples fato de ter um histórico ruim no ensimo médio e ser a decepção do papai (que é engenheiro) em exatas ou muito menos para aparecer na televisão. Digo isso porque vi muito babaca começando o curso só porque não possui números e outros que decidiram ser jornalista por causa da Fátima Bernardes e William Boner.

Mas apesar de ser uma verdadeira otária em matemática, física, química e afins, minha história com o jornalismo foi caso pensado. Escrever sempre foi meu paraíso e da época de escola, só consigo me lembrar das aulas de história e geografia. Mas olha só que romântico: eu sentia que tinha uma missão com o jornalismo.

A princípio, quando entrei na faculdade a 4 anos atrás, meu interesse era na área de jornalismo internacional, o famoso "correspondente", onde o jornalista visa acontecimentos estrangeiros para o país onde se localiza o veículo de imprensa em que trabalha. Eu, com a ilusão de que a mídia é o quarto poder e os jornalistas podiam mandar no país (em épocas que derrubavam governos), tinha o sonho de ser correspondente de guerras e acontecimentos no Oriente Médio.

E sabe como é aquela história de adolescentezinho mocorongo, acreditava que minha missão era poder mostrar a realidade que a mídia não mostra para o mundo. Meu objetivo era acabar com esse preconceito ocidental contra a cultura islâmica, quebrar essa manipulação nojenta e parar com os mitos sobre o Oriente Médio. Manipulações feitas desde desenhos animados, filmes hollywoodiano até as famosas notícias enviesadas. Onde muçulmanos são confundidos com árabes vilões, terroristas e fundamentalistas.

O problema é que os meios de comunicação que tem o poder para tal, preferem se preocupar com merdinhas que julgo irrelevantes, pois só enfatizam aquilo que é de seus interesses, mesmo porque todos possuem rabo preso com políticos . E o jornalista que decide jogar a real no ar, acaba desempregado e falido.

A TV é uma verdadeira maquina incessante de fazer nada. Televisão não tem compromisso com a verdade e muito menos com a informação, é tudo mentira. A transmissão jornalística por exemplo, nunca é o fato em si como muitos acreditam. Mesmo porque tudo o que vemos em uma transmissão ao vivo é resultado de escolhas de muitas pessoas que se interferem para ganhar audiência e obviamente dim dim! A câmera nunca se encontra fixa em determinado lugar e muitos acreditam na errônea idéia de que a transmissão ao vivo é pura.

Logo me desiludi quando descobri que o jornalismo sério e imparcial está quase extinto e que hoje o jornalista já não é mais o porta voz da verdade. Coincidentemente, no ano em que entrei na faculdade, em 2009, foi o mesmo ano que implantaram aquela lei da não obrigatoriedade do diploma de jornalista e aí tudo virou uma palhaçada. Uma profissão que já não dava dinheiro nenhum, passou a ser extremamente desvalorizada de um dia para o outro.

Cheguei na metade do último ano muito desgastada e virei a casaca. Meu amor próprio falou mais alto e descobri que para escrever sobre algo que gosto, não preciso necessariamente ganhar mal e trabalhar feito um escravo em um meio de comunicação para escrever coisas a favor da linha editorial do veículo que muitas vezes vai contra nossos valores e pensamentos.

Portanto, tranquei a faculdade na metade do último ano. Eu posso concluir o meu curso algum dia, mas agora preciso pensar. Vou viajar e aí... só Deus sabe!

terça-feira, 22 de maio de 2012

H&M no Brasil


A loja H&M é muito querida no exterior por oferecer moda de qualidade com o melhor preço. Ou seja: coisas bonitas, na moda, de boa qualidade (nem tão boa qualidade assim, mas tá) e, que vestem desde a garota formada até a garçonete. Eu, quando conheci essa loja, fiquei louca né? Sabe como é, brasileiro não está acostumado adquirir coisas boas com facilidade.

Pois olha que bacana! Hoje li que a H&M está chegando ao Brasil em 2013. Logo, lamento, pois aqui costuma-se vender tudo a preços surreais. O que será da H&M por aqui? Mais uma das milhares lojas que vendem seus produtos pelo triplo do preço.
Ok, ok. A loja nem chegou e eu já estou aqui falando pacarai. Mas, acredito que o país das taxas de impostos mais altas do mundo, não irá perdoar nem mesmo a H&M que costuma ser tão generosa.

H&M, não é H&M no Brasil. Eu acho.

Matéria sobre H&M no Brasil: http://vogue.globo.com/moda/news/hm-chega-ao-brasil-em-2013/

site oficial H&M: www.hm.com

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Aïcha, Ayesha, Aisha, Ayeishah...

Dedicado para todas as Aïchas, Ayeshas, Aishas e Ayshas (hehehe).

Mas ô nomezinho bem cotado hein? O paquistanês me deu esse nome também. Acho que o mundo inteiro paga pau para esse nome. Pode ser coincidência, mas a maioria das muçulmanas convertidas que conheci se chamam Aisha.

Aisha soa tão bem que um dos maiores sucessos do cantor argelino Cheb Khaled foi a música "Aïcha", em francês, (belo trabalho, aliás). Música que foi regravada por diversos músicos mais tarde. E como se não bastasse, já ouvi outras músicas onde o tema principal era Aisha, e não era a versão do Khaled, não. Como esse sonzinho bollywoodiano, por exemplo: Suno Aisha - http://www.youtube.com/watch?v=YhDoqYbkTCo&feature=fvsr

Khaled é sensacional. Um fofo! Conhecido como o Rei do Raï, é um dos mais conhecidos cantores da música popular folclórica árabe. Encanta-me, pois ele sorri o tempo todo para cantar. Certa vez li em algum lugar que Khaled sorri até com os olhos e é verdade.


A versão da banda Outlandish é a mais conhecida, depois da original. Pois eu acho até uma ousadia regravar essa belíssima obra de arte (eu amo essa música). Esta é uma banda de integrantes dinamarqueses, porém de descendência marroquina e paquistanesa. Portanto todos são muçulmanos, exceto um que é católico. Confira: http://www.youtube.com/watch?v=f0nFTdKlKLw&ob=av2e

Além de Outlandish, uma banda com o nome de "Chota Madre" também regravou a música. Ficou legalzinha, em versão espanhola, "Aicha, Aicha, mi corazón". Outra versão engraçadinha é a da banda "Africando". É só procurar no youtube por "Aicha - Africando", o mesmo para Chota Madre, (coloca no youtube). Também vi em estilo salsa, em inglês e por aí vai...

Mas de todas as versões, além da original, a mais bela é a paquistanesa. Pois é. Ha pouco tempo o Amanat Ali também regravou essa música. E por favor, logo não pense que é puxação de saco ou viés a favor do Paquistão. Ouça todas as versões que citei e depois compare como não encaixou perfeitamente essa canção em urdu. A música realmente ficou bela e quando escutei pela primeira vez, até me emocionei (ui ui). Olha:


<3

Significado do Nome Aicha:
Aicha era a mulher do Profeta Muhammad
De origem árabe, significado de Aicha é "vivente e bondosa"
Também significa "vida" em suaíli.

Significado de Aicha, fonte: http://www.thinkbabynames.com/meaning/0/Aisha
 

Show Me The Stars Template by Carly Lloyd Designs